domingo, 5 de janeiro de 2014

Bells e outros contos.

Estou aqui, sentada na beira do lago vendo o crepúsculo do dia, como queria que você estivesse junto, queria poder continuar aquela nossa conversa, dar aquelas risadas no meio do papo, que só você conseguia fazer. Respirei fundo e pulei no lago.
Atordoada de pensamentos, coração frágil...eu só queria um descanso.
Ficar sozinha não era desespero pra mim, adorava passar horas sozinha, desenhando, pintando minhas amadas telas, dando vida ao que merece.
No meio das minhas atividades rotineiras, você me vinha sempre em pensamento, não que eu gostasse de me torturar pensando em você, mas simplesmente vinha e ás vezes eu não conseguia evitar.
Você sabe, sempre soube que me tem...me tem por inteira, me tem mesmo quando eu nego, me tem de todas as formas possíveis desse mundo, e talvez além dele.
Sua partida não tornava nada fácil os dias aqui, mas eu suportava. Suportava porque você me pediu pra ficar bem, suportava porque eu te conheço, sei que não gostaria de me ver triste. Você é o tipo de cara que nunca quer ver ninguém mal. Você dá suas "mancadas", mas quem nunca errou? Eu ''tô'' aqui sempre pra você e você tá sempre pra mim. Mesmo com tudo, eu ainda ''tô'' aqui...isso significa muito.
Nunca fui o tipo de garota que gosta de sair, que gosta de festar...gostaria de ser assim.
Prefiro ficar no meu canto, lendo meu livro, desenhando, pintando minhas telas e tocando uma boa música no meu violão. Não te culpo por ir, eu sempre gostei de carreira solo mesmo.



- Bells e outros contos.